BLOG FECHADO

17
Dez 08

Encaminharam-se para a sala de visitas, onde à mesa já se sentava uma personagem bastante particular. Era uma mulher gorda e baixa, de olhos pequeninos que nem pedras preciosas cravadas numa batata enorme. Tia Mildred usava um vestido castanho hediondo, complementado por um aparatoso colar de pérolas falsas. Os pés, tal como os olhos, eram pequeníssimos, e encontravam-se calçados num par de sapatos rasos de verniz. A sua voz era estridente e tilintava nos ouvidos de um modo extremamente incómodo. Mildred era o tipo de mulher que pensava que a maquilhagem excessiva lhe tirava vinte anos, mas bem pelo contrário, apenas lhe vincava as rugas e lhe concedia um aspecto patético.

            - Meninos, vamos lá a despachar!.- disse ela, abrindo a sua bocarra imensa pintada de um tom algures entre o roxo e o violeta.

Philip sentou-se e Elizabeth, Jillian e Vincent seguiram-lhe o exemplo. Beth cruzou os braços, decidindo não jogar, e iniciou-se a partida de bridge. Pouco depois, fizeram-se ouvir vozes e passos no corredor. Pela voz, percebia-se que se aproximavam duas pessoas – um homem e uma mulher. Surgiram na sala Belinda e Henry Hope. O casal juntou-se à mesa. Belinda, apesar dos seus quarenta e três anos, aparentava ter apenas trinta e cinco, de cabelo negro e olhos azuis. A sua figura, de uma graciosidade extrema, era coberta por um vestido cobre de corte elegante. O marido, de cabelo dourado fino que já começava a branquear, usava um fato azul-marinho de boa qualidade. A roupa que vestiam era o espelho perfeito da sua personalidade. Belinda era o que segurava a família junta, uma mulher de forte carácter, orgulhosa, sem medo, alguém que sabia guardar um segredo. Henry era o típico mulherengo que assentara e constituíra família, de personalidade um pouco misteriosa, mas meigo e de ar altivo.

            - Vão sair? – perguntou Jillian, dirigindo-se à mãe.

            - Sim, daqui a pouco. Os Courage convidaram-nos para tomar uma bebida.

            - Os de White Manor? – indagou Vincent.

            - Esses.

            - Têm um ar suspeito, vão por o que eu digo. Vocês não os conhecem bem. Ouvi dizer que nem sequer são ingleses, que têm dupla nacionalidade! – exclamou a tia.

            - Oh, Mildred, não sejas absurda. – disse Mr. Hope – E mesmo que tenhas razão, não entendo qual é o problema.

A mulher fungou. Nesse momento, Jane pediu permissão para entrar.

            - Sir?

            - Sim, Jane?

            - Um telefonema para Miss Jillian.

            - Quem é?

            - Alguém chamado Fridérico.

Jillian levantou-se de um salto e correu para o telefone. Passado alguns minutos, assomou à porta, exclamando:

            - O Fred volta amanhã!

Philip sorriu, dizendo:

            - Duas copas.

 

publicado por Katerina K. às 19:39

Li vi e gostei deste post.
Se acaso ainda não tiveste oportunidade de visitar no meu blog, o post - ESPÍRITO DE NATAL, reitero aqui os desejos que tenhas um Natal muito feliz, com saúde e paz.
O amigo,
Carlos Alberto
umbreveolhar a 19 de Dezembro de 2008 às 19:23

Se acaso não viste o meu último post, expresso aqui o desejo de uma boa Passagem de ANO e que o NOVO DE 2009 te traga a concretização de todos os teus desejos,
Cumprimentos,
Carlos Alberto
umbreveolhar a 30 de Dezembro de 2008 às 23:06

FELIZ ANO NOVO minha querida!
Subjectividades a 31 de Dezembro de 2008 às 16:59

Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
16
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

RSS
arquivos
A Banda Sonora dos Rascunhos


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com

mais sobre mim
pesquisar
 
favoritos

#5

blogs SAPO