BLOG FECHADO

22
Mar 10

Continuação do meu trabalho anterior.

 

 

A pele dela era suave e cor de pérola. Eu devia ter medo de a magoar, mas não tinha, porque eu sabia que ela não era como as outras mulheres. A dormir, ela nem parecia uma mulher; era tudo irrelevante face à calma suprema da sua respiração. O peito ebúrneo oscilava com a inspiração e expiração. A imperfeição dela era tão grande; isso agradava-me, especialmente quando as luzes se apagavam. Eu amava-a, não a ela, mas à personagem que tinha criado dela, à figura quente que estremecia debaixo de mim. Nesses momentos, era bom.

Eu ia ter com ela quando perdia o pensamento. Eu sabia que ela estava à minha espera, com um cigarro entre os dedos e sem maquilhagem, enterrada no sofá da saleta com um livro aberto sobre as pernas e um vinil a rodar no gira-discos. Eu pousava o sobretudo no cabide, mordia a ponta do Marlboro e fechava a porta atrás de mim.

As noites eram todas diferentes; pelo menos eu era uma pessoa diferente de cada vez que ia ter com ela. Às vezes as coisas pareciam-me mais simples, mas eu sabia que não eram. Debaixo do braço cálido dela, tudo era simples. E eu queria que fosse.

Naquele dia, depois de ela me ter apertado os botões da camisa, a úlcera doeu-me. Bebi um golo de leite e o líquido amaciou-me o estômago, mas a dor foi tão intensa que caí na cama de bruços. Ela acendeu um cigarro.

Tens de ir ao médico.

Para quê? Eu sei o que tenho, não preciso de médicos.

Vai ao médico, tantas dores não são normais.

E tu agora é que sabes o que é normal ou não?

Sei mais que tu.

Silêncio.

Não gosto de discutir contigo.

Eu sei, respondi.

Ela vestiu-se, apesar de eu gostar mais dela de manhã. Agarrei-lhe a ponta da saia e puxei-a para mim. Ela atirou a cinza do cigarro para cima de mim e passou-me a mão pelo cabelo.

Estás atrasado para o trabalho. Até amanhã.

A noite vai estar fria.

Traz mais cigarros, então. E conhaque.

 

 

 

 

 

 

Edit:

Estes dois textos são pertencentes a uma pequena série chamada Pássaro Azul. Brevemente postarei mais.

publicado por Katerina K. às 21:29

omg, isto está demasiado bem escrito.
diferente do que nos habituaste, mas com uma beleza enorme.
uma beleza que só tu consegues colocar nas palavras.
inês. a 22 de Março de 2010 às 21:36

Adorei, escreves maravilhosamente bem, é um texto muito bonito parabéns!
Essência a 22 de Março de 2010 às 21:49

É, como disseram anteriormente, diferente do que estou habituado, mas igualmente magnífico. As palavras em tua pose ganham uma beleza unica.

Beijos.
Mudei-me. Tchauzinho. a 22 de Março de 2010 às 22:02

Adorei, está fabuloso! Tem uma aura muito diferente daquilo que já li da tua autoria. é muito arrojado *-*
Beijinhos
Rita a 22 de Março de 2010 às 22:08

hallo!!
Palavras para quê??
Não há nenhuma suficientemente boa para dizer o quanto isto está perfeito!!
Tu escreves divinalmente bem e eu adoro!!

perfect!

Kuss
dk a 23 de Março de 2010 às 21:28

Eu Fui a PRIMEIRA!!!
* Sinto-me orgulhosa!! *
=)

Kuss
dk a 23 de Março de 2010 às 21:30

Obrigada pelo conselho. Talvez o siga, mas preciso primeiro de me preparar para enfrentar a minha mãe, que não tem um temperamento fácil. Estive a ler alguns dos teus trabalhos e acho que tens muito talento. Este último texto está maravilhoso, magnificamente pormenorizado e com personagens muito realistas.

Aguardo por mais.

Beijo,
Amy
Amy Elizabeth a 24 de Março de 2010 às 20:45

adorei (:
Mariana* a 26 de Março de 2010 às 15:28

Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19

21
23
25
26

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

RSS
arquivos
A Banda Sonora dos Rascunhos


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com

mais sobre mim
pesquisar
 
favoritos

#5

blogs SAPO