BLOG FECHADO

29
Set 09

            Era ele. Era mesmo ele. Violet sentiu-se soterrada, confusa, maravilhada. O pequeno adolescente de cabelo cor de chocolate amargo e olhos leitosos transformara-se num homem completamente diferente. Ela nunca pensara que ele se tivesse tornado num músico rock, que tivesse trocado o violino pela guitarra eléctrica. Por alguns momentos, que lhe pareceram longos demais, Violet permaneceu calada, a fixar os olhos maduros e a ver neles o passar dos anos. Nos lábios dele, esculpidos de carne e pele, surgiu um sorriso, escuro mas verdadeiro.

            - Violet, há quanto tempo.

            Ela abriu a boca para falar, mas desta não saiu qualquer som. Manteve-se pregada ao chão, a agitar suavemente os braços na frente do rosto, como a certificar-se que aquilo estava, de facto, a acontecer.

            - Desculpa se te surpreendi. A verdade é que, bem, mudei um bom pedaço.

            O baterista riu-se, pousando as baquetas no colo e recostando-se na cadeira.

            - Lance. Lance. Meu Deus, nem consigo acreditar. – disse ela, tapando a boca com ambas as mãos.

            - Sim, estou diferente. Mas podes acreditar, sou mesmo eu. – respondeu ele, numa estranha tirada, a qual, aparentemente, soou divertida.

            A rapariga não soube o que replicar. Estava fascinada, num sentido bom e mau simultaneamente, se é que isso era possível. Ele passou a fita da guitarra por cima da cabeça, pousando o instrumento sobre a coluna que servia de monitor. Desligou o quadro eléctrico, e as luzes dos amplificadores apagaram-se de imediato. Depois de se ter certificado que tinha deixado tudo devidamente desligado, fechou a frágil porta com um safanão e conduziu a rapariga até ao interior da casa.

            Como ela suspeitava, dentro do edifício tudo se encontrava perfeitamente organizado, não se parecendo nada com a moradia de um músico rock. Violet sentou-se num sofá corrido, encostado à parede da sala de estar, e viu Lancelot desaparecer na cozinha. Pouco depois, ouviu a sua voz.

            - Queres alguma coisa para beber? Tenho cerveja.

            - Não sabia que agora bebias álcool.

            O rosto dele apareceu no corredor, meio inclinado.

            - Desde que fiz dezoito anos. – e sorriu.

            Após sentar-se num banco em frente à rapariga e abrir com um estalido a lata de cerveja fresca que pingava gotas de condensação para o chão, cruzou as pernas e esperou que ela falasse. Como ela não o fez, cingindo-se a observá-lo atentamente, ele tomou a iniciativa.

            - Bem, conta lá porque aqui estás.

            - Também recebeste a carta do Raoul?

            Lancelot tirou do bolso das calças um papel amarrotado e arremessou-o para cima da mesinha de pinho que se erguia entre eles.

            - Recebi, há dois dias. – o seu rosto escurecia à medida que a conversa ia avançando.

            - Leste?

            - Li.

            Violet estava à espera daquela reacção, da indiferença quanto àquele assunto, tendo em conta tudo o que havia acontecido.

            - Ouve, Lance, eu sei que para ti é complicado falar disto, ainda por cima quando, obviamente, tentaste esquecer tudo o que se passou. Mudaste de vida, eu compreendo. Mas isto ultrapassa-nos a todos, é algo maior que nós. Quero a tua ajuda, preciso dela. Por favor.

            Lancelot manteve-se mudo algum tempo, sendo impossível medir os minutos que foram passando. Esfregou as mãos uma na outra, demoradamente, observando-as. Estava sério e pálido, como se a vida o abandonasse gradual e sucessivamente. Os seus olhos estavam tristes, rasgados na pele clara como pó de arroz. Entreabriu os lábios, passou a língua por eles. Depois de um largo suspiro, carregado de um sentimento parecido com arrependimento, fitou Violet.

            - Vou ajudar-te. Mas não o faço por nenhum de nós. Faço-o por ela.

publicado por Katerina K. às 20:03

Epá, boa. Fiquei para ler isto e tenho a minha mãe a chamar-me ._.
Vê só o que eu não faço por ti :b
PRIMEIRAAAAAAAAAAAAAA, YEAH! 8D
Isto está lindo, posha *O*
Estou ansiosa por ler o próximo, Flautista. Quero mais, mais e mais *-*
Beijinhos.
inês. a 29 de Setembro de 2009 às 20:08

espero que eles voltem então.
foi lindo memso :'D
sara a 29 de Setembro de 2009 às 20:16

estou ansiosa para ver o desenrolar desta história fantástica! :D
beijinhos*
ana a 29 de Setembro de 2009 às 20:19

sim, it's always the same shit .___.
sara a 29 de Setembro de 2009 às 20:26

a minha opinião sobre esta história está formada desde o primeiro capítulo e não há-de mudar xD simplesmente fantástica *.*
ana a 29 de Setembro de 2009 às 20:31

os capítulos não podem ser todos emocioantes xD
mas isso é em todas as histórias, ou mesmo livros - nuns é só acção, outros são mais descritivos e parados. a escrita é mesmo assim :)
ana a 29 de Setembro de 2009 às 20:49

green day ftw ü
espero que voltem *--*
sara a 29 de Setembro de 2009 às 21:27

Fico mesmo contente que tenhas gostado da fic :DD

Também adoro atua. é impossivél não adorar :D não li a anterior mas assim que tiver tempo é o que vou fazer :DD~

Este xadrez está esplêndido :DD

Continua que eu estou desojissima por mais :D
sibyl duerr a 29 de Setembro de 2009 às 21:36

Exemplo de uma excelente banda rock (na verdade muito punk) que conjuga guitarras eléctricas, acústicas, FLAUTA, VIOLINO, acordeão, entre tantos outros instrumentos: GOGOL BORDELLO.
E acho que os Arcade Fire, também tinham qualquer coisa com violinos. Mas não posso garantir.

Os estilos de música, felizmente, não tem contrato exclusivo com certos instrumentos.

Obrigada pela mensagem de apoio ao meu sono. Ele agradece.

Beijos
Ana

P.S. Por que tiveste de parar a história aqui?
P.P.S. O Samson voltou! Na altura em que surgiu esta música o namorado de então da Regina (Julian Casablancas, vocalista dos Strokes:)cortou o cabelo. Inspiração?
Jane Doe a 29 de Setembro de 2009 às 21:44

CORRECÇÃO
Acho que me enganei. Nenhum dos membros dos Gogol Bordell toca flauta. Por favor não te assustes. Sim, eles são bastante expansivos. Para começar recomendo uma mais calminha, "trough the roof'n'underground".
Quanto aos Arcade Fire, confirma-se. Piano, violino, viola, violoncelo, contrabaixo, harpa, trombone, entre outros instrumentos esquisitos ou normais numa banda rock. Pela enumeração faz parecer uma orquestra, não é?

Beijos
Ana
Jane Doe a 29 de Setembro de 2009 às 22:08

também dá, também dá 8)
sara a 29 de Setembro de 2009 às 21:46

Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
16

24
26

28


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

RSS
arquivos
A Banda Sonora dos Rascunhos


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com

mais sobre mim
pesquisar
 
favoritos

#5

blogs SAPO